O Que Significa Franquia? GUIA COMPLETO

Você sabe efetivamente o que significa franquia? Sabe quais são as possibilidades e qual é o primeiro passo para tentar comprar uma? Esse tipo de negócio é rentável, mas é muito particular e é fundamental conhecê-lo.

Nos últimos tempos novas marcas começaram a abrir as portas para as franquias, havendo diversas oportunidades no mercado. O melhor? Há opções de franquias para todos os gostos e bolsos.

Neste artigo você vai ficar por dentro de todos os pormenores, descobrindo como abrir a sua franquia, além de dicas que irão te ajudar a garantir o seu sucesso ainda mais rápido.

Franquia: o que é

O primeiro passo deste Guia é, obviamente, entender de uma vez por todas o que é uma franquia. O termo é amplamente utilizado, mas será que você efetivamente sabe do que se trata?

Bem, as franquias são consideradas um modelo de negócio que tem como base a comercialização do direito do uso de uma patente, marca, infraestrutura, direto de distribuição e o know-how.

De uma maneira bem fácil de entender, as franquias nada mais são do que a concessão que você como franqueado terá do direito de uso a partir do proprietário de uma marca.

O empreendimento é replicado e o franqueado seguirá o mesmo modelo de negócio do que o franqueador.

Já notou que todo Burguer King, Subway e McDonald ‘s têm o mesmo padrão? Não são somente os lanches, mas o estilo, modelo de negócio, linguagem, forma de atendimento… enfim, tudo é padronizado a partir do franqueador.

A franquia pode ser um serviço, um produto, uma marca ou até mesmo um conceito. Não há um ramo de negócio definido, sendo possível encontrar grandes franquias de hambúrguer até franquias de lavagem de roupas.

Há empreendimentos gigantescos que são franquias, como os shoppings. O Buriti Shopping, por exemplo, é uma franquia. As lojas de cada unidade até podem ser diferentes, mas tudo segue o padrão e modelo de negócio.

Em outros termos, franquias são uma estratégia de comercialização para o direito de uso. É um arranjo comercial, onde a rede franqueadora (como o McDonald ‘s) dá a concessão para um franqueado (você) usufruir do modelo de negócio.

Lei que rege as franquias

As franquias são regidas por lei, mais precisamente pela Lei nº 8.955 de 1994, também conhecida como Lei de Franquias. O segundo artigo da norma prevê o conceito de franchising:

“[…] o sistema pelo qual um franqueador cede ao franqueado o direito de uso de marca ou patente, associado ao direito de distribuição exclusiva ou semiexclusiva de produtos, ou serviços […]”.

Além disso, a Lei de Franquias também prevê que, eventualmente, também há o direito sob a administração do negócio e às tecnologias de implementação. 

Então, o que seria o franchising?Nada mais é do que proporcionar aos franqueados a possibilidade de atingir o sucesso do negócio de forma mais segura e rápida.

Para o franqueado, optar por uma franquia é muito positivo, pois é como se o negócio não começasse do zero. Já há toda uma estratégia de marketing, administração, plano de negócios, manual de identidade, etc.

A depender da franquia, carregar o próprio nome da marca já é garantia de sucesso.

E o que o franqueador ganha? Maior expansão do seu próprio negócio sem que haja a necessidade de gerenciá-lo de forma direta. As franquias vão aumentando e, consequentemente, o lucro também.

Como está o desempenho do franchising no Brasil Franquia

O Brasil está passando por uma crise nos últimos anos e quando o assunto é investir em um novo negócio há muita desconfiança e insegurança.

Apesar de todo o cenário que não parece ser muito favorável, o franchising continuou crescendo no país, mesmo com todas essas adversidades.

Para ter uma ideia mais concreta, no ano de 2018 o setor aumentou o faturamento em quase 7%, garantindo a marca de mais de R$186 bilhões.

Ou seja, o crescimento se demonstrou muito mais interessante do que diversos setores no país. E àqueles que acham que o ano de 2018 foi atípico, enganam-se muito. O sistema de franquia realmente tem ganhado cada vez maior visibilidade.

Os segmentos são distintos, como já dito anteriormente, e os resultados de crescimento também variam um pouco. A seguir, veja o quanto foi o crescimento do ano de 2018 para 2019.

  • Casa e Construção aumento de 10%
  • Comunicação, Informática e Eletrônicos aumento de 10%
  • Serviços e Outros Negócios aumento de 8,3%
  • Serviços Educacionais aumento de 7,4%
  • Saúde, Beleza e Bem Estar aumento de 7,2%
  • Serviços Automotivos aumento de 7,2%
  • Moda aumento de 5,7%
  • Alimentação aumento de 5,6%
  • Entretenimento e Lazer aumento de 5,4%
  • Hotelaria e Turismo aumento de 5,2%
  • Limpeza e Conservação aumento de 4,7%

Como é possível notar, os resultados de crescimento são realmente satisfatórios. O segmento que menos rende, que é o de Hotelaria e Turismo, ainda apresentou bons resultados principalmente considerando a crise.

De onde vieram as franquias? -Franquia

Não deixa de ser interessante conhecer um pouco mais sobre a história desse modelo de negócios. A franquia surgiu nos Estados Unidos há muitos anos, por volta de 1850.

Ao contrário do que muitos pensam, não começou com um empreendimento de hambúrguer ou um café, mas com uma marca de um segmento bem diferente: fabricante de máquinas de costura.

A pioneira no modelo de franquias foi a Singer Sewing Machine Company, a qual possui sede na região de New England.

O objetivo era aumentar as vendas, então a empresa começou a dar uma espécie de licença para que outros pudessem usar e comercializar a sua marca. Dessa forma, as máquinas de costura começaram a atingir outras regiões.

O resultado? A Singer é uma marca que existe até hoje, sendo uma das maiores do mercado de máquinas de costura. É vendida em todo o mundo e seus produtos são de extremo renome.

Talvez você não conheça ou nunca nem tenha ouvido falar da Singer, mas não há uma pessoa que trabalhe com moda ou confecção que não deseje uma boa máquina desta marca.

Depois de alguns anos, mais precisamente em 1898, a grande General Motors seguiu o exemplo da Singer e começou a aumentar o seu número de pontos de vendas.

Criou-se o conceito de Concessionária de Veículos, algo que é tão comum hoje em dia.

Na mesma época a Coca-Cola abriu a sua primeira franquia disponibilizando algumas outorgas para a produção e comercialização das bebidas. Ou seja, a Coca-Cola começou a operar no franchising.

Como foi no Brasil Franquia

As franquias tiveram os EUA como pioneirismo, chegando ao Brasil alguns bons anos depois. Na verdade, a primeira franquia surgiu apenas em 1954, na capital São Paulo, Sudeste do País.

A pioneira também foi um nicho bem diferente do que muitos imaginam. A primeira franquia no país foi a Yázigi Internexus, escola de idiomas focada em inglês e espanhol.

O modelo de negócio foi se mostrando muito satisfatório, desta estratégia modelo de negócios.

Hoje, o Brasil conta com diversas franquias e muitas vezes nem sabemos que estamos consumindo em uma delas. Muitas vezes pensamos que é um negócio local, mas há toda uma marca grande por trás da operação.

Como funciona este modelo de negócios Franquia

Voltando para a parte mais técnica deste conteúdo, que tal entender como funciona com mais detalhes o sistema de franquia? A base deste negócio é a relação de interdependência entre franqueador (marca) e investidos (franqueado).

São os franqueados que gerenciam as unidades, representando a peça que investe e que efetivamente trabalha nas lojas.

Não há logística e nem viabilidade técnica o próprio franqueador intervir de forma direta nas unidades. Pense em grande escala: como o dono do McDonald ‘s conseguiria controlar as suas unidades pontualmente? 

Então, o franqueado será responsável pelo empreendimento, mas terá o direito de todo o uso de imagem da marca, bem como acesso ao modelo de negócio. Em decorrência disso, a cobrança de royalties é muito comum.

Royalty nada mais é do que uma taxa calculada a partir do faturamento bruto de cada unidade e sua cobrança costuma ser mensal.

É claro que cada franquia possui o seu próprio sistema de taxas, mas, de modo geral, o montante repassado para o franqueador depende diretamente da sua lucratividade.

Outra característica importante deste modelo de negócio é a limitação no que tange à autonomia das unidades. Isso porque há a necessidade de seguir uma série de diretrizes estipuladas pela marca.

Por exemplo, se você decidir abrir uma loja da marca de chocolates Cacau Show, você deve vender apenas os produtos da marca e toda a identidade da loja deve ir de acordo com a franqueadora.

Você não poderá personalizar a loja da forma que desejar e nem os empregados podem usar o uniforme que quiserem. Tudo é padronizado. Estratégias e propagandas também devem seguir as premissas da marca.

Entretanto, franquias possuem graus de abertura diferentes. Há aquelas que dão maior liberdade para os seus franqueados. Todas essas particularidades só serão descobertas após ler o contrato.

Em relação às franqueadoras, sua responsabilidade para com o franqueado é prover todo o suporte necessário.

Informações administrativas, operacionais, de conduta e os mais diversos detalhes devem ser repassados para que a unidade realmente consiga reproduzir o modelo de negócio da marca.

É uma forma de assegurar que a unidade tenha todo o sucesso das outras. De modo geral, toda a gestão já vem definida para o franqueado. Isso é um ponto muito positivo, pois muitos empreendimentos fecham por falta de um sistema de gestão eficiente.

Como é o repasse de informações Franquia

O franqueado deve ter todas as informações, dados e estrutura pertinente para começar a operar.

Tudo isso é repassado através de materiais, manuais, treinamentos, calls EAD e muito mais.

É importante salientar que não é somente o franqueado que deve estar por dentro de todos esses detalhes, mas toda a sua equipe. Questões comportamentais, procedimentos de atendimento e coisas do gênero devem estar alinhadas.

Os funcionários devem seguir os padrões estabelecidos na franquia. Muitas vezes, até a contratação é direcionada. Por exemplo, a Chilli Beans é uma rede de óculos que sempre preza por contratações de pessoal mais alternativo.

Formatos de franquias

As franquias podem ser encontradas em diferentes formas, o que torna tudo ainda mais personalizável e flexível. As oportunidades variam de acordo com o público-alvo e mercado, por exemplo.

Inclusive, é muito importante que cada franquia tenha seu modelo para se adequar ao público, afinal, cada segmento tem as suas particularidades (mas falaremos disso mais adiante). Dentre os formatos de franquias, podemos citar os seguintes:

Lojas físicas Franquia

Muitas pessoas estão começando a ter certo receio com lojas físicas, pois o investimento é maior, bem como há maiores custos envolvidos para manter o negócio aberto.

Além do mais, há a questão do e-commerce, que vem ganhando muito espaço no mercado (o que torna esse tipo de investimento ainda mais apreensível). Entretanto, essa é uma ideia rasa do mercado.

De acordo com alguns levantamentos da Associação Brasileira de Franchising (ABF), as lojas físicas continuam sendo o tipo de comércio mais procurado pelas pessoas.

Para ter uma ideia mais concreta, cerca de 70% das vendas no comércio acontecem de forma presencial. E em relação às franquias, quase 90% delas funcionam de forma presencial. Ou seja, ainda é um negócio assertivo.

A franquia em forma de loja física ainda deve ser considerada e muitas vezes é a melhor opção para o público-alvo. Veja as vantagens e desvantagens desse modelo:

  • Vantagens

Esse tipo de franquia é a que contempla a maior parte dos serviços e produtos, então as marcas mais fortes acabam seguindo esse modelo de negócio.

O grande diferencial é a presença que essas lojas impõem, além de conseguirem chamar mais público de forma orgânica (pessoas que estão passando na rua e se sentem interessadas pela vitrine, por exemplo).

Há alguns empreendimentos que só conseguem operar dessa forma, o que impulsiona ainda mais as franquias físicas.

  • Desvantagens

De fato, essas franquias exigem maior mão de obra, infraestrutura e suporte. Consequentemente, elas costumam ser mais caras, o que pode inviabilizar para muitas pessoas.

Além do mais, é realmente um tipo de negócio que exige maior custo mensal para sua operação. Mas escolhendo a franquia certa todos os custos serão cobertos e o lucro será interessante o suficiente.

Quiosques Franquia

Os quiosques são uma forma bem comum de franquias e muito provavelmente você já consumiu em uma. Não necessariamente são microfranquias (franquias de menor porte) e podem ser de grandes marcas.

Quantos quiosques de sorvete do McDonald ‘s ou Burger King não ficam espalhados pelo shopping? A própria Chilli Beans, por exemplo, funciona com muitos quiosques.

  • Vantagens

São menores e, apesar de físicas, demandam menos investimento inicial. Costumam operar com pequeno estoque, o que facilita bastante na questão de gestão.

São ótimas oportunidades para iniciantes, pois exige menos funcionários e costuma dar menos problemas.

  • Desvantagens

Como os locais são bem pequenos e exigem, para a sua viabilidade, grande fluxo de pessoas, nem sempre é fácil encontrar um local para essas franquias. Além disso, não se adéqua a qualquer tipo de negócio.

Por exemplo, franquias de moda em um quiosque são inviáveis na grande maioria das vezes. É preciso avaliar se o seu segmento dá a possibilidade de operação no formato quiosque.

Food Trucks

Os Food Trucks, como o próprio nome já sugere, são automóveis que vendem comida. Eles se tornaram extremamente populares nos últimos 10 anos por conta de seus benefícios e aceitação do público.

O segmento alimentício é muito variado, podendo ser de hambúrguer, pastel, chocolate, sorvete, churros e assim por diante.

Grandes marcas possuem algumas unidades em forma de Food Trucks em locais que não possuem tanto fluxo de pessoas que justifique uma unidade física convencional.

  • Vantagens

Primeiramente, o baixo custo do Food Truck é bem interessante, abrindo maiores possibilidades para aqueles que não possuem tanto assim para investir em uma franquia.

Além disso, a praticidade dos caminhões também é um ótimo ponto, bem como a flexibilidade.

Se algum lugar não está dando muito movimento é possível trocar em apenas alguns minutos. Fica fácil acompanhar feiras e eventos, locais de maior fluxo de pessoas.

A gestão de um Food Truck também é mais simples, tornando-se uma ótima ideia para iniciantes, assim como os quiosques.

  • Desvantagens

A desvantagem do Food Truck é mais relacionada com a manutenção, pois o veículo sempre deve estar devidamente revisado.

Além disso, o espaço é limitado, então o estoque deve ser muito bem organizado e os produtos acabam sendo um pouco contados. Isso limita um pouco quando há grande fluxo de pessoas.

Containers

Os Containers são uma forma muito interessante de franquia, pois traz diversos benefícios e otimiza os custos.

O conceito é bem semelhante ao Food Truck, mas os containers são fixos, podendo atingir um tamanho um pouco maior do que a opção anterior. Além disso, o espaço acaba sendo mais estruturado e funcional.

Grandes franquias, como o Madero, possuem Contêineres em alguns pontos. São menores e mais compactos que as lojas físicas, mas atendem perfeitamente determinadas regiões.

  • Vantagens

Uma das vantagens mais interessantes deste modelo é o baixo investimento, que é com toda a certeza menor do que uma loja física convencional. O custo de manutenção, instalação e taxas da própria franquia também são mais interessantes.

Outro ponto extremamente positivo é que o modelo tem recebido cada vez mais investidores. Isso porque é possível investir em grandes marcas, mas com montante menor, porém ótimo desempenho.

Sendo assim, o custo x benefício é muito interessante para todos, sendo um tipo de negócio que vem dando muito certo nos últimos tempos.

  • Desvantagens

De modo geral, as desvantagens dos containers são bem pequenas em comparação com as vantagens, mas a questão do espaço ainda pode ser um gargalo para esse tipo de franquia.

São pequenos e inviabilizam a questão da personalização, sendo um ambiente bem definido no projeto. Além disso, algumas redes de franquia também não conseguem operar em um espaço tão pequeno.

Home-based

As franquias tipo Home-Based estão ganhando popularidade, pois os franqueados conseguem gerenciar as unidades da sua própria casa, ou seja, é quase um home office!

A popularidade se dá pela facilidade de implementação e por possibilitar que mais pessoas tenham acesso a sua própria franquia (tanto por questões de orçamento quanto por questões de flexibilidade).

Home-Based quer dizer Franquia Doméstica em português, o que já diz muito sobre o seu modo de operação.

Mesmo que você possa operar da sua própria casa, ainda há a necessidade de contrato e suporte por parte do franqueador. Entretanto, muitos negócios precisam de pouquíssimos ajustes para começar a funcionar.

Na grande maioria das vezes o Home-Based é desenvolvido pensando na entrega de serviço, mas o formato não possui limitações, sendo possível adequar várias franquias.

  • Vantagens

As vantagens do Home-Based são claras! Não há a necessidade de pagar aluguel, muitas vezes não há a necessidade de contratar pessoal, custo reduzido, baixo investimento inicial e flexibilidade durante o trabalho.

Para quem deseja começar com calma, este tipo de franquia é uma ótima oportunidade.

Considerando que estamos vivendo uma pandemia, outro benefício é a questão do baixo contato com outras pessoas. Trabalhando em sua casa será possível se proteger contra a Covid-19.

Outro ponto é a possibilidade de ficar mais tempo com a família, mesmo enquanto trabalha. Para pais que ainda precisam cuidar dos filhos, é uma ótima forma de tentar conciliar com o job.

  • Desvantagens

Não são todas as franquias que podem funcionar desta forma, principalmente aquelas que estão ligadas com produtos.

Além disso, o franqueado precisará ter muita, mas muita disciplina para manter o negócio em operação da forma que deve.

Home Office é, de fato, mais flexível, mas a produtividade deve se manter para que a franquia realmente dê os frutos esperados.

Muitas pessoas se adequam facilmente a este estilo de trabalho, enquanto outras possuem sérias dificuldades. Então, antes de escolher o modelo Home-Based, avalie se o seu perfil está condizente com este tipo de negócio.

Principais taxas

Cada franquia tem a sua respectiva política de taxas, mas sempre haverá a necessidade de repassar valores para o franqueador (afinal, esta parte da sociedade também deve ter seus benefícios financeiros).

Dentre as possíveis taxas que são cobradas para os franqueados, podemos citar:

Taxa de Franquia

É uma taxa paga pelo franqueado assim que o contrato é assinado. Ou seja, é o valor que você deve pagar para ter o acesso aos direitos. É um valor único e fixo.

Este valor faz parte do investimento inicial necessário para abrir a franquia. Esta taxa, assim como as outras cobranças eventuais, deve estar discriminada de forma detalhada na COF (Circular de Oferta de Franquia)

O valor cobre as despesas com suporte, treinamento e implantação do empreendimento.

Royalties

Já foi falado um pouco dos Royalties, mas vamos reforçar um pouco o conceito. O pagamento é periódico, normalmente mensal, sendo uma taxa bem diferente da anterior.

O pagamento dos royalties é definido por lei, mas a forma com que isso será cobrado não é estabelecida.

Ou seja, não há nenhuma definição de quantidade ou de como será esse recolhimento. Entretanto, a lei deixa claro que é imprescindível a identificação da forma e quantidade no contrato.

Fundo de Marketing

O Fundo de Marketing, que também é conhecido como Fundo de Propaganda, é uma taxa mensal que os franqueados repassam para que sejam feitas ações de promoção da marca. 

Ou seja, o recolhimento desta taxa é destinado para a própria propaganda da franquia. De certa forma, o franqueado também é beneficiado com isso. O valor arrecadado varia, mas costuma ser de 2% até 5% do faturamento bruto da franquia.

Mas, assim como os Royalties, o valor deste fundo não está previsto em lei, podendo até mesmo ser um valor fixo. Mais uma vez, isso depende do que consta no COF.

Como abrir uma franquia?

Apesar de ser muito mais simples abrir uma franquia do que começar o seu próprio negócio do zero, há muitos detalhes aos quais você deve se atentar para se certificar de que será uma decisão assertiva.

Não é um processo extremamente rápido e é necessário fazê-lo com cautela. Aqui você tem uma lista com alguns pontos que você deve avaliar assim que começar a pesquisar sobre as possibilidades de franquias.

Como é o funcionamento

A primeira coisa a ser feita é entender melhor como é a franquia. Quais são os compromissos, responsabilidades, deveres, direitos, riscos e oportunidades dentro do escopo do plano de negócio.

Apesar de seguir uma mesma premissa, cada franquia possui as suas particularidades, sendo imprescindível ficar por dentro de seu funcionamento para avaliar se você está realmente de acordo.

Ramo de atuação

Muitas franquias são lucrativas e trazem um retorno incrível, mas isso não quer dizer que você conseguirá o mesmo resultado. Isso porque o ramo de atuação deve ser escolhido com muita cautela.

Primeiramente, é fundamental fazer uma análise de mercado para saber se realmente há demanda e necessidade da franquia que está pensando em investir.

Quem é o público-alvo? Existe na região? As condições da cidade estão de acordo com o serviço ou produto que será oferecido? De nada adianta optar por uma franquia incrível se ela não condiz com a realidade da região de atuação.

Além disso, sempre é recomendado que você tenha afinidade com o tipo de serviço ou produto que escolher.

É muito mais fácil gerenciar um empreendimento no qual você também se vê como cliente, pois você sabe quais são os anseios e gargalos dos concorrentes.

Por isso, faça um longo estudo das possibilidades e escolha aquela que mais faça sentido para você e, também, para a região de atuação.

Reputação da franquia

Na hora de escolher a franquia é importantíssimo consultar qual é a reputação dela no mercado. Isso deve ser feito através de dois pontos de vistas:

  • Consumidor
  • Outros franqueados

Como o público reage à franquia? Ela é realmente reconhecida por oferecer bons produtos/serviços, custo x benefício e bom atendimento?

Se você pretende dar o passo de levar o nome de uma marca, então esta deve atender todas as suas expectativas e as expectativas do público também.

Em relação aos outros franqueados, fazer uma pesquisa com quem já tem uma unidade é uma ótima forma de saber se realmente vale a pena.

Busque um franqueado que atue em alguma região muito semelhante à sua e veja qual é a relação com o franqueador e, também, relação de lucratividade.

A partir desse contato é possível saber, a partir de uma visão prática, se é uma franquia que realmente oferece boas condições ao franqueado.

Fale a franqueadora

Depois de encontrar uma marca a qual você realmente tem interesse e possui bons feedbacks, então está na hora de entrar em contato com a franqueadora.

Nesse momento você conversa sobre a possibilidade de se tornar um franqueado e a marca lhe dará um panorama geral (custos, forma de negócio, coisas do gênero).

A própria franqueadora irá avaliar se você realmente tem o perfil da marca, pois esse match conta muito para que seja possível abrir a franquia (não é só o investimento inicial que é o determinante).

Estando os perfis alinhados e as principais dúvidas esclarecidas, chega a hora de dar um dos passos mais importantes.

Avalie a Circular de Oferta de Franquia (COF)

Já falamos um pouco do Circular de Oferta de Franquia, também conhecido como COF.

É neste documento que terão todas as informações sobre direitos, deveres, taxas e investimentos. Tudo o que deve ser estabelecido entre franqueado e franqueadora está contido neste documento.

Todas as informações sobre investimento, taxas, direitos e deveres de franqueados e franqueadora, além das características do modelo de franquia escolhido devem estar na Circular de Oferta de Franquia (COF).

Segundo a legislação, a franqueadora deve entregar o COF 10 dias antes para que o franqueado faça a devida análise do contrato (isso evita pressão por parte do franqueador).

É muito importante revisar o COF (que é complementar ao contrato) nos mínimos detalhes e é recomendado que isso seja feito com um advogado experiente (é uma forma de fazer o investimento de maneira mais assertiva).

Todos os detalhes da franquia devem estar descritos neste contrato de forma bem clara e objetiva, evitando qualquer tipo de dupla interpretação.

A assinatura só deve ser feita após a análise minuciosa do COF e do contrato do negócio.

Analisar esses documentos com muita calma e com pessoal capacitado é a melhor forma de assinar os contratos de forma segura. Por mais que demore um pouco mais de tempo, é sempre melhor passar por esta etapa com muita calma.

Como fazer o pagamento da franquia?

Depois de assinar o contrato chega a hora de fazer o pagamento da franquia. No primeiro momento é necessário fazer o pagamento da Taxa de Franquia, o qual já foi citado ao decorrer deste conteúdo.

Então, o pagamento é fixo e feito da maneira que foi acordada no contrato. Sempre é interessante avaliar as possibilidades de pagamento, pois algumas franquias oferecem condições interessantes para essa taxa.

Depois de pagar pela Taxa de Franquia há os outros pagamentos, como royalties e algumas outras tributações que já foram faladas.

A análise de todas essas taxas deve ser feita no momento anterior. Veja qual será o investimento inicial, quais as condições de pagamento, taxas periódicas e qualquer outro custo que você possa vir a ter.

Avalie o seu orçamento, a perspectiva de lucratividade do negócio e a partir daí veja se efetivamente terá condições financeiras de investir.

As franquias são, sim, lucrativas, mas esse passo deve ser feito com cautela para que não dependa exclusivamente da lucratividade nos primeiros momentos.

Qual o lucro

Este é um questionamento muito comum quando o assunto é franquia, mas fica fácil de perceber que esse questionamento é muito difícil de ser respondido.

Cada franquia tem as suas particularidades e o lucro depende do tamanho, do produto ou serviço oferecido, da estrutura, quantidade de funcionários e assim por diante.

Mas, de modo geral, pesquisas apontam que as franquias costumam ter bom retorno, principalmente quando a marca já possui certo nome no mercado.

Além disso, todo o sistema de gerenciamento já está definido, então você já terá uma ótima fórmula para começar.

Entretanto, o sucesso e o consequente lucro dependem muito da escolha da franquia (lembre-se do tópico que falamos da importância de pensar no seu ramo de atuação) e do seu próprio envolvimento com o negócio.

Para ter uma ideia mais palpável da lucratividade, converse com a própria franquia e, também, com outros franqueados da marca.

Benefícios de uma franquia

Estamos falando há um bom tempo sobre franquias e ao decorrer deste artigo é possível identificar vários benefícios ao optar por este modelo de negócios. Aqui você vai conhecer melhor quais serão, de fato, as suas vantagens:

Plano de negócios

Um dos pontos mais importantes e positivos a respeito da franquia é o plano de negócio.

O plano de negócios é um documento que contém tudo a respeito do empreendimento e é uma das tarefas mais difíceis na hora de montar um negócio. Se ele não estiver bem desenvolvido as consequências podem ser grandes.

Quando você opta por ser um franqueado este modelo de negócios já está pronto. Ou seja, você não terá este trabalho e ainda por cima receberá uma fórmula do sucesso.

Estratégia de gerenciamento

A grande maioria dos empreendimentos que fecham em menos de 2 anos de operação é por conta da má gestão.

O franqueado terá todo um suporte de gestão para organizar todos os pormenores do negócio. Este diferencial ajuda muito o franqueado, principalmente aqueles que são iniciantes como empreendedores.

Nome da marca

Você sabe quanto tempo demora para construir a sua marca e quanto tempo as pessoas efetivamente passam a chamar o seu negócio pelo nome (e, claro, ser reconhecido)?

Isso não é tarefa fácil e muitos empreendimentos nunca chegam a este patamar. Quando você opta por uma franquia já estará levando toda a história que ela construiu.

Ao abrir uma loja das Havaianas ou Cacau Show, por exemplo, todos já sabem do que se trata e confiam na qualidade dos produtos.

Suporte

Se você abrir o seu negócio do zero não terá qualquer suporte quando precisar, apenas se contratar serviços terceirizados para organizar a gestão e coisas do gênero.

Os franqueadores oferecem todo um suporte para os seus franqueados, ajudando nas dificuldades e direcionando quando há algum tipo de problema.

Manual de identidade

Você sabe o que é manual de identidade? É um documento que marcas precisam desenvolver para criar a imagem do negócio. Logo, cores, fonte de letras e todos esses detalhes são padronizados.

Notou que todo McDonald ‘s, Burger King, Cacau Show, Subway, Centauro e todas as outras lojas possuem uma identidade? Mesmas cores, mesmo estilo, uniforme…

Essa padronização é importantíssima para construir a imagem da marca. Muitos empreendedores que optam por abrir seu negócio do zero têm um grande trabalho para desenvolver essa identidade.

A franquia já tem tudo isso pronto, basta seguir o que está determinado no manual e pronto: uma réplica da loja é instalada.

Suporte na estrutura

Grandes franquias normalmente começam no zero quanto à estrutura, ou seja, não alugam um local pronto, mas constroem. Quem já mexeu com a obra sabe o quanto de trabalho elas podem dar, mas as franquias oferecem suporte.

Como as lojas devem seguir um padrão e toda a estrutura deve ser de qualidade, então o franqueador ajuda neste momento também.

Investimento em marketing

O investimento em marketing é uma das taxas a serem pagas que, inclusive, está prevista na Lei das Franquias. Isso não deve ser interpretado como algo ruim, de forma alguma.

O marketing é a alma de muito negócio. Quantas vezes você não consumiu um produto ou serviço só porque a propaganda era realmente muito? Campanhas criativas e que toquem na dor do consumidor ganham muito público.

Quando várias unidades contribuem com o valor das estratégias de marketing é possível fazer campanhas bem sólidas e que trazem retorno.

O mesmo investimento por unidade, se feito de forma independente no marketing, não traria tantas oportunidades de propagandas.

Bom retorno financeiro

Obviamente, o bom retorno financeiro é um dos benefícios de ser um franqueado. Como todo o negócio está estruturado e há uma rede de apoio, dificilmente uma franquia não dá certo quando há o estudo de mercado.

O retorno financeiro depende de cada franquia, mas costuma ser bem vantajoso para o franqueado.

Mesmo as franquias cujo investimento inicial é bem grande, não demora muito para que o faturamento cubra o valor investido.

Vários empreendimentos pensando no bem comum

Você não estará sozinho, pois há uma rede de unidades que estão buscando o mesmo que você: fortalecer a marca e aumentar a lucratividade.

Isso é muito importante, principalmente no quesito concorrência. Sua franquia estará bem posicionada no mercado.

Quais são as franquias mais caras

Quanto custa uma franquia? Como você já sabe, o valor varia muito de marca para marca. A seguir há uma lista com as franquias mais caras do mercado (e algumas vão te surpreender):

China In Box

A China In Box é um restaurante de comida chinesa e atua no mercado desde 1992, sendo considerado o maior delivery desta culinária de toda a América Latina.

Apenas no Brasil são mais de 150 lojas. O China In Box é muito focado nas entregas, então os locais de consumo não costumam ser muito grandes. Isso acarreta em baixo custo no aluguel, o que é um ponto positivo.

Para fazer parte da franquia não há a necessidade de experiência, mas a marca exige alguém dedicado exclusivamente para o negócio.

  • Investimento inicial: a partir de R$ 440 mil

Subway

O Subway foi criado em 1960, nos EUA. A empresa revolucionou o mercado de fast food de sanduíches, oferecendo novos tipos de lanches em formatos de pães diferentes do tradicional redondo. 

A franquia decolou e em apenas 10 anos contava com mais de 30 lojas espalhadas pelos Estados Unidos. O sucesso veio pelo ótimo produto, lanches variados e bom atendimento de seus clientes.

É uma das maiores franquias do mundo e no Brasil conta com quase 2 mil unidades.

Apesar de ter um investimento inicial relativamente alto, o Subway costuma ter baixo custo operacional, aumentando o faturamento mensal.

  • Investimento inicial: a partir de R$ 447 mil

McDonald’s

Impossível falar de franquias sem citar o McDonald ‘s, o grande fast food de lanches. A influência desta marca é tanta que a revista The Economist até criou o “Índice Big Mac”, que mede o poder de compra dos cidadãos.

É uma das marcas mais importantes de todo o mundo e por conta disso não é tão simples ser um franqueado. Os candidatos passam por diversas avaliações até conseguir a liberação para usar a marca.

O investimento é alto, bem como o valor da operação e toda a estrutura (normalmente o McDonald ‘s exige certo espaço, muitas mesas, etc.), mas o retorno financeiro sempre compensa. 

  • Investimento inicial: a partir de R$ 1,6 milhão

Ri Happy

Apesar de surpreender a muitos, a Ri Happy é uma das franquias mais caras do país. Ela é uma grande loja de brinquedos que costuma estar presente em shoppings.

Está no mercado desde 1980 e é a loja de brinquedos mais conceituada, com política e cultura bem estruturada.

Uma vantagem desta franquia é o suporte diferenciado que o franqueador oferece.

  • Investimento inicial: a partir de R$ 900 mil

Accor Hotels

A rede Accor Hotels é, sem dúvida, uma das franquias mais caras no Brasil. Está no mercado desde 1967 e é reconhecida por serviços inovadores.

Sua origem é francesa e quando chegou ao Brasil oferecia as melhores condições de hotéis.

E se você não está reconhecendo o nome, a Accor Hotels faz parte do grupo Ibis e Mercure, onde você possivelmente já ouviu falar da primeira marca.

  • Investimento inicial: a partir de R$ 8,2 milhões

Como se destacar no mercado

Destacar-se no mercado optando por franquias é, sem dúvida, muito mais fácil do que começar um empreendimento do zero e ter sucesso rapidamente.

Muito já vem pronto, como já falamos ao decorrer deste artigo, mas o sucesso absoluto depende muito do franqueado também. E se você quer se destacar no meio, aqui vão algumas dicas:

Dedique-se à franquia

Pode parecer óbvio, mas é importante reforçar que você deve se empenhar no seu próprio negócio. O franqueador sempre dará o suporte, bem como outras unidades, mas as coisas não operam sozinhas.

É necessário ter alguém sempre presente para colocar todas as coisas em ordem.

Treinamento da equipe

Você terá o apoio de uma marca e isso já é ótimo, mas é importantíssimo que os funcionários também sigam a política e cultura da empresa.

O atendimento deve ser impecável para que os clientes sintam vontade de retornar à loja. Então, sempre dê treinamentos, suportes, feedback e todo o apoio para o seu time crescer no que tange ao ótimo atendimento.

Atuação regional

A depender do contrato com a franquia é possível fazer algumas estratégias de marketing pontuais. Sempre que possível invista em marketing para a sua região.

Coisas simples, como postagem no Instagram e algumas promoções podem movimentar muito o mercado.

De olho nos resultados

Não é porque é uma franquia que os resultados estão garantidos. É preciso ficar atento ao desempenho da sua unidade.

Caso ela esteja dando menos retorno do que outras, então é preciso descobrir qual é o gargalo responsável por esses números.

É sempre importante analisar os resultados para descobrir os pontos fracos e pontos fortes do empreendimento como um todo.

Enfim, depois de tudo o que foi dito: já está pensando em qual marca irá se franquear? São realmente várias opções do mercado, mas se seguir as dicas que foram dadas o sucesso é certeiro!

A franquia é, sim, um ótimo modelo de negócio e traz muito retorno financeiro, mas faça todo o procedimento com muita calma e cautela, seguindo todas as dicas e recomendações que foram dadas aqui.

Photo of author

Escrito por:

Equipe BemSucedida